A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





A interação entre Caxias e Inhaúma no Rio Paraguai
Aspectos Militares

Armando de Senna Bittencourt
Vice-Almirante (Refo-EN), graduado em Ciências Navais pela Escola Naval, em Engenharia Naval pela Universidade de São Paulo e Mestre em Arquitetura Naval pela Universidade de Londres. É autor de diversos artigos e livros sobre História e Engenharia Naval. Atualmente é membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil, do Conselho Internacional de Museus (ICOM) e o Diretor do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha.


RESUMO
Designado o Marquês de Caxias para o cargo de Comandante-em-Chefe de todas as Forças brasileiras na guerra contra o Paraguai, o Comando da Força Naval do Brasil coube, por escolha dele, ao Chefe-de-Esquadra Joaquim José Ignácio. A partir de então, havia unidade de comando nas Forças brasileiras. Sem dúvida, de fundamental importância para o bom êxito alcançado nessa guerra, foi o perfeito entendimento e cooperação entre o Marquês de Caxias e o Visconde de Inhaúma, objeto de análise desta comunicação.

PALAVRAS-CHAVE: Guerra da Tríplice Aliança, Marquês de Caxias, Visconde de Inhaúma

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
When the Marquis Caxias was assigned to the position of Commander in Chief of all Brazilian Forces, he chose the Fleet Commander Joaquim José Ignácio to be in charge of the Brazilian armada. The perfect understanding and cooperation between the Marquis of Caxias and the Viscount of Inhaúma was of fundamental importance to the success achieved in this war, and is to be the object of analysis in this paper.

KEYWORDS:
Triple Alliance War, Marquês of Caxias, Visconde of Inhaúma