A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.




        

Subsídios para a arqueologia subaquática: fatores causadores de naufrágios

Carlos Celestino Rios e Souza
É Capitão de Fragata (RM1-T), mergulhador, biólogo marinho e MSc em Arqueologia pela UFPE. Atualmente é doutorando em Arqueologia (trabalha com Arqueologia Subaquática) na mesma instituição. É bolsista do CNPq


RESUMO
O artigo tem o objetivo de propor uma classificação e definição para oito fatores causadores de naufrágios, visando à sua padronização para aqueles que trabalham com Arqueologia Subaquática. O trabalho mostra a relação entre o contínuo aumento das embarcações em tamanho, peso e calado para satisfazer às crescentes necessidades humanas e a sua importância para os naufrágios, bem como fornece subsídios para a interpretação de dados para identificação das causas de cascos soçobrados.

PALAVRAS-CHAVE: Arqueologia Subaquática; Naufrágio, Classificação
ABSTRACT
The aim of this paper is to propose a classification and definition for the eight factors that cause shipwrecks, it seeks the standardization for those who works with Underwater Archaeology. It shows the relationship among the continuous development of ships in length, weight and draft in order to satisfy human necessities of growing and the importance to shipwrecks, as well as provides elements to help the data interpretation and identification of the causes of shipwrecks in general.

KEYWORDS: Underwater Archaeological; Shipwreck, Classification
O navio é um dos maiores e mais importantes artefatos já construídos pelo homem, medindo de uns poucos metros até algumas centenas de metros, e uma das dificuldades para quem trabalha com Arqueologia Subaquática é determinar o fator1 ou os fatores que causam um dado naufrágio2 (RAMOS, 2000, págs. 154 a 163 e 2008, pág. 115; RIOS, 2007, pág. 25). Normalmente o arqueólogo subaquático depara-se com uma miríade de vestígios do que uma vez foi um navio de madeira ou de ferro que, por sua vez, estando algumas das suas partes desenterradas, as mesmas estarão cobertas por fauling3, o que dificulta sobremaneira a interpretação dos dados (RIOS, 2007, págs. 52 a 54). Portanto, a fim de orientar na interpretação e facilitar a determinação da(s) causa4(s) de um naufrágio é importante normatizar e definir os fatores causadores.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)