A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.




        

Divisão Naval do Leste: A Marinha Imperial na Costa da África

Marcelo Rodrigues de Oliveira
Primeiro-Tenente do Quadro Técnico, graduado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Possui o curso de pós-graduação em História das Relações Internacionais pela mesma Universidade. Atualmente exerce a função de pesquisador no Departamento de História da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha


RESUMO
O objetivo deste artigo consiste fundamentalmente em analisar a atuação da Divisão Naval do Leste, base que a Marinha Imperial estabeleceu na costa da África em decorrência dos acordos diplomáticos realizados em 1826 e 1827 entre o Império do Brasil e a Grã-Bretanha. A questão essencial desses acordos envolvia um interesse especificamente britânico: a supressão do comércio de escravos africanos. Por outro lado, em função da Guerra da Cisplatina (1825-1828), o Brasil necessitava do apoio inglês para manter o bloqueio naval no Rio da Prata. A Armada Imperial, estabelecida no litoral africano para supostamente fiscalizar o intenso tráfico negreiro, concretizou as decisões da política externa do jovem País e efetivamente cumpriu um duplo encargo: dissuadiu a Grã-Bretanha quanto à cooperação em relação à diminuição e posterior supressão do tráfico de escravos e defendeu o comércio brasileiro contra ataques piratas.

PALAVRAS-CHAVE: tráfico de escravos, marinha imperial, divisão naval do leste
ABSTRACT
The purpose of this article consists essentially to analyze the Navy Division of the East performance, base that the Imperial Navy established in the Africa coast in resulting from diplomatic agreements accomplished in 1826 and 1827 between the Brazil’s Empire and the United Kingdom. The essential question of these agreements involved a specifically British interest: the suppression of the African slaves trading. On the other hand, in function to de Cisplatina War (1825-1828), the Brazil needed of the English support to maintain the navy blockade of the River Plate. The Imperial Navy established in the African seashore to supposedly to inspect the intense slave traffic, consummated the foreign policy decisions of the young country and effectively accomplished a dual duty: dissuaded the United Kingdom about the cooperation in relation the reduction and subsequent suppression of the slave traffic and protected the Brazilian trading against pirate’s attacks.

KEYWORDS: slave traffic, imperial navy, naval division of the east
“Duas correntes irreconciliáveis... a primeira levou-nos à África em busca de escravos para satisfazer as necessidades, cada vez maiores, do nosso desenvolvimento agrícola... a segunda... afastou-nos da África devido à insistência inglesa quanto à abolição do... tráfico de escravos... Esse conflito entre as necessidades do País e as exigências dos ingleses foi a essência da nossa história nos primeiros cinqüenta anos do século XIX”. José Honório Rodrigues, Brazil and Africa (1965), p. 115.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)